Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 11 Outubro 2016 14:00
cultura nordestina

Governo do Estado garante apoio a representantes de vaqueiros em Alagoas

Secretário Fábio Farias, representantes dos vaqueiros e simpatizantes da vaquejada defendem que atividade é uma manifestação cultural nordestina e movimenta a economia do Estado

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Após o término da reunião, os vaqueiros seguiram para a Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) onde serão recebidos pelo presidente da Casa, Após o término da reunião, os vaqueiros seguiram para a Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) onde serão recebidos pelo presidente da Casa, Fotos: Adaílson Calheiros
Texto de Renata Arruda

O secretário-chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias, recebeu na manhã desta terça-feira (11), os criadores de cavalo quarto de milha e integrantes da Associação de Vaqueiros de Alagoas que protestavam em relação à recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou uma lei do Estado do Ceará, que regulamentava a vaquejada.

 

Segundo Farias, a vaquejada é uma manifestação cultural nordestina, que difunde a cultura da região e movimenta a economia do Estado.

 

“A vaquejada é um bem patrimonial de nossa cultura e isso deve ser respeitado. Esse é um momento de nos organizarmos, mostrarmos ao País o que a vaquejada representa para o nordestino com o intuito de que ela cresça e se desenvolva mais” disse o secretário.

 

Durante o encontro, a Associação Alagoana de Vaqueiros, apresentou dados que mostram a vaquejada como um dos esportes que mais movimenta a economia em Alagoas, gerando aproximadamente 11 mil empregos diretos e rendimentos de R$ 5 milhões no Estado. São mais de 500 pistas distribuídas nos 102 municípios.

 

Ainda segundo o secretário-chefe do Gabinete Civil, o governador Renan Filho foi o primeiro governador nordestino a se posicionar favorável ao esporte por meio de publicação em suas mídias sociais.

“Vamos aproveitar a coragem e determinação do governador Renan Filho para criar uma agenda positiva e mostrar ao país os pontos favoráveis à prática deste esporte que tanto conquistou os nordestinos e está enraizado em nossa cultura”, concluiu Fábio Farias.

 

Durante o encontro, os defensores da vaquejada ainda enfatizaram também que o STF não acompanhou a evolução da vaquejada, com inclusão de termos de ajuste de conduta (TAC), unido ao Ministério Público Estadual (MPE) e que hoje não existe maus-tratos aos animais envolvidos. Ao contrário, afirmam que as novas normas protegem os animais.

 

“Nossos animais são muito bem tratados, recebem alimentação adequada, protetor de calda, areia, e tratamento veterinário. Os ministros que não são favoráveis ao esporte, definitivamente não acompanharam a evolução da vaquejada”, afirmou o criador João Sampaio.

 

Após o término da reunião, os vaqueiros seguiram para a Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) onde serão recebidos pelo presidente da Casa, deputado Luiz Dantas.