Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 23 Setembro 2020 16:16
fiscalização

Operação Mata Atlântica em Pé identifica e coíbe crimes ambientais em Alagoas

Ação conjunta entre IMA, Ibama e BPA vai percorrer municípios do litoral

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Equipes do Ima identificam crimes ambientais durante operação Mata Atlântica em Pé, que será realizada até o dia 25 deste mês Equipes do Ima identificam crimes ambientais durante operação Mata Atlântica em Pé, que será realizada até o dia 25 deste mês Ascom IMA
Texto de Dálet Vieira

A Operação Mata Atlântica em Pé está acontecendo simultaneamente, por ação coordenada dos Ministérios Públicos estaduais, em 17 Estados brasileiros que integram o Bioma Mata Atlântica. Em Alagoas, a ação está sendo realizada de maneira conjunta pelo Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA). Entre os dias 21 à 25 de setembro, as equipes estarão percorrendo municípios do litoral norte com o objetivo de identificar e coibir crimes ambientais contra a flora alagoana.

Nos dois primeiros dias de ação, fiscais do IMA identificaram, através de vistoria, irregularidades e chegaram a embargar 12,94 hectares de área com danos ambientais de supressão e queimadas irregulares. Algumas regiões foram identificadas previamente e localizados polígonos que sofreram intervenções não autorizadas. Além disso, também foi constatado que a prática do uso de fogo é algo comum nesses locais.

Segundo Epitácio Correia, Gerente de Fauna, Flora e Unidades de Conservação (Gefuc) do IMA, durante a Operação é possível identificar desmatamentos, intervenções irregulares em áreas de floresta e uso não autorizado do fogo. Esta última é uma prática que só deve ser realizada após o requerimento e autorização do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas.

“Ao identificar esses alvos e respectivos responsáveis, conseguimos imputar responsabilidades e estabelecer a recuperação dessas áreas que foram suprimidas ilegalmente” explica Correia.

A parceria entre os órgãos ambientais traz amplitude às ações e sete polígonos vão fazer parte delas. No entanto, as áreas apenas serão divulgadas ao fim das ações para não atrapalhar o andamento da Operação Mata Atlântica em Pé.

“É muito importante essa integração dos órgãos porque cada um possui sua visão e autonomia, o que contribui muito dentro da Operação” Finaliza o gerente.