Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 15 Fevereiro 2018 09:39
AGRICULTURA FAMILIAR

Chã Preta sediará primeira feira agrária do crédito fundiário em 2018

Atividade organizada pelo Iteral e prefeitura municipal busca fortalecer  escoamento da produção

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Feira agrária do crédito fundiário será uma das atrações da Festa da Cultura Feira agrária do crédito fundiário será uma das atrações da Festa da Cultura Helciane Angélica
Texto de Helciane Angélica

A primeira Feira Agrária do Crédito Fundiário 2018 foi confirmada para os dias 9 e 10 de março no município de Chã Preta, localizado na região da Zona da Mata. O evento é uma realização do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) com o apoio da prefeitura municipal.

 

O vice-prefeito Áureo Teixeira esteve na sede do Iteral para se reunir com o diretor-presidente, Jaime Silva, e solicitou a inclusão da feira na programação da 25ª Festa da Cultura que celebrará os 56 anos de emancipação política.

 

"O ano passado foi um sucesso e queremos continuar com essa importante parceria. Depois que realizamos a primeira edição, nós continuamos os trabalhos, onde toda primeira sexta-feira de cada mês fazemos uma feira com os agricultores familiares do município, mas, com uma estrutura menor. E agora queremos melhorar ainda mais e colocar atrações culturais dentro da feira ", destacou Teixeira.

 

Para comercializar os produtos participarão aproximadamente 30 agricultores/feirantes. Representantes das famílias beneficiadas no Programa Nacional do Crédito Fundiário (PNCF) de três unidades produtivas: Mundaú do Areia, Paraibinha e Santo Izidro. Também serão convidados representantes de cooperativas agroecológicas e assentamentos da reforma agrária da região.

 

De acordo com Jaime Silva, as feiras agrárias contribuem para o fortalecimento da agricultura familiar. “É uma honra saber que Chã Preta continuou com o trabalho de valorização dos pequenos agricultores. Com uma agricultura forte, evitamos o êxodo rural, a violência e outras problemáticas. E as feiras representam um espaço para o desenvolvimento econômico e sociocultural; além de facilitar o escoamento da produção agrícola sem a intervenção de atravessadores. Felizmente, outros treze municípios estão interessados em realizar as feiras, e isso, é muito bom para o Estado”, destacou.

 

 

Participaram da reunião o gerente de Política Agrária e Fundiária, e diretor da Unidade Técnica Estadual (UTE) do Crédito Fundiário, Severino Araújo; e a assessora Técnica dos Núcleos Quilombolas e Indígenas do Iteral, Leone Silva, que propuseram uma programação paralela à feira com a realização de palestra e reunião sobre a importância da Lei Federal 13.606 de 9 de janeiro de 2018 – que prorroga o prazo para a liquidação das dívidas do crédito rural, com desconto de até 85%, junto aos bancos.

 

Neste ano, o objetivo é ampliar o número de feiras nos municípios. As próximas edições estão previstas para as cidades de Santana do Mundaú e Delmiro Gouveia; e foi aprovada no calendário a segunda edição da Feira das Margaridas, que ocorrerá no mês de agosto, na Praça da Faculdade, em Maceió.