Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Domingo, 14 Janeiro 2018 09:26
BALANÇO

Serviço de Transporte Sanitário assegura a transferência de 3.741 pacientes

Regulação é feita pela Sesau e garante a assistência na unidade especializada

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Transferência é realizada com uma ambulância padronizada, que segue os padrões exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária Transferência é realizada com uma ambulância padronizada, que segue os padrões exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária Foto: Carla Cleto
Texto de Fabiano Di Pace

Para assegurar a assistência e a utilização adequada dos leitos de retaguarda, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) promove a regulação e transporte de pacientes do Hospital Geral do Estado (HGE) para leitos de retaguarda. Em 2017 foram 3.741 transferências realizadas, com uma média de 311 deslocamentos por mês.

 

A transferência é realizada com uma ambulância padronizada, que segue os padrões exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Durante o trajeto, o paciente é acompanhado por um condutor socorrista e um técnico de enfermagem.

 

Segundo a gerente de regulação da Sesau, Sandra Canuto, a transferência é feita de acordo com a avaliação dos médicos do HGE. Para isso, eles solicitam o deslocamento do paciente e entram em contato com a unidade para assegurar a vaga. “Após a solicitação e agendamento da vaga, a Sesau aciona o Serviço de Transporte Sanitário para realizar o translado de forma seguir”, explicou. 

 Daniel Seco, técnico do Serviço de Transporte Sanitário (Foto: Carla Cleto)

O operador do sistema de regulação, Daniel Secco, ressaltou que existem leitos de retaguarda em diversos hospitais da capital alagoana, a exemplo do Sanatório, Açúcar, Deisy Breda, Hélvio Auto, Nossa Senhora de Fátima e Santa Casa. “São parcerias importantes que asseguram um atendimento mais acessível a todos e diminuem o grande fluxo de pacientes no HGE, que é o maior hospital público do Estado”, destacou Daniel Seco. 

 

O operador ressaltou que em casos mais graves a transferência é feita com o apoio de uma Unidade de Suporte Avançado (USA) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “A ficha do paciente é abrangente e explica o quadro do paciente. O transporte é acionado de acordo com a situação em que se encontra o indivíduo”, salientou Daniel Seco.

 

Segundo o diretor do Hospital do Sanatório, Júlio Bandeira, a unidade recebe cerca de 150 transferências e mantém leitos reservados para receber os pacientes do HGE. “Estamos aptos a atender a diversas especialidades, a exemplo de neuroclínica, cirurgia geral, pneumologia e cirurgia vascular. A parceria entre o Estado e instituições privadas é importante para assegurar a população uma assistência cada vez mais qualificada e acessível”, ressaltou o diretor.

 Joseilda dos Santos, usuária do Transporte Sanitário Hospital Sanatório (Foto: Thiago Henrique)

A jovem Joseilda dos Santos foi transferida do HGE para o Sanatório e revela que foi muito bem assistida durante o processo de mudança de hospitais. “A equipe foi atenciosa e realizou o translado com técnica e atenção”, declarou.

 

Já o aposentado João Alves, 67 anos, que foi vítima de um acidente em um transporte coletivo, elogiou a equipe que fez o transporte, além da equipe profissional do HGE e Sanatório. “Fui muito bem tratado por todos, passei por um procedimento cirúrgico e estou me recuperando bem, graças a Deus”, reforçou.