Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 14 Dezembro 2017 18:37
Agronegócio

Governo de Alagoas apoia medicina veterinária no estado através da Fapeal

Fundação financiou o Simpósio de Medicina Equina, entre 13 e 15 de dezembro, em Maceió; rebanho equino do estado ultrapassa 60 mil cabeças.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Grupo já publicou mais de 60 artigos científicos em oito anos de existência. Grupo já publicou mais de 60 artigos científicos em oito anos de existência. Foto: Naísia Xavier
Texto de Naísia Xavier

Com o tema “Agronegócio, Cavalo e Medicina Equina no Nordeste", o IV Simpósio Alagoano de Medicina Equina (Simpalmeq) atraiu profissionais da área, estudantes de veterinária de vários estados do Nordeste e alguns dos melhores pesquisadores do país no tema. O evento também incluiu o II Ciclo Nordestino de Atualização em Laminite Equina.

 

A ocasião foi encorajada pelo governo estadual através de financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e do apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). O Simpósio foi organizado pelo Grupo de Pesquisa e Extensão em Equídeos (Grupequi), do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Alagoas, que já oferece mestrado na área e se localiza na unidade de ensino em Viçosa. O grupo já publicou mais de 60 artigos científicos em oito anos de existência.

 

O interesse do evento para o estado tem a ver com um rebanho que, em 2015, ultrapassava os 64 mil cavalos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este número expressivo explica porque o evento também atraiu o apoio de empresas privadas, revistas especializadas e da Federação das Indústrias do Estado do Alagoas (Fiea), em cuja sede o simpósio prossegue até sexta.

 

A programação incluiu minicursos voltados ao aperfeiçoamento dos profissionais veterinários de equinos, como técnicas cirúrgicas para o sistema locomotor dos cavalos, transferência de embriões e anestesia intravenosa no campo. Todos os minicursos foram realizados dia 13, em Viçosa.

 

A parte científica da programação foi planejada para oferecer aos participantes o conteúdo mais atualizado disponível na área, especialmente em relação à laminite, uma inflamação nos cascos das patas dos animais, causando manquejar e deformações permanentes. Apesar de ocorrer com alta frequência, a doença ainda é considerada um desafio em termos de medicina veterinária.   

 

Temas contextuais como mercado de trabalho, empreendedorismo e vaquejadas também ganharam seu espaço.  O Simpalmeq é coordenado pelo professor Pierré Barnabé, médico veterinário e doutor em Ciências na área de Biotecnologia.

 

A abertura solene do evento, realizada nesta quinta, 14, incluiu representantes das seguintes instituições: Fapeal, Ufal, Universidade Federal de Minas Gerais, Associação Brasileira dos Médicos Veterinários de Equídeos, serviço de saúde, inspeção e fiscalização animal da Superintendência Federal da Agricultura em Alagoas, cavalaria da Polícia Militar do Estado e Centro Universitário Cesmac.

 

Na ocasião, o diretor-presidente da Fapeal, professor Fábio Guedes, comemorou o fato de o simpósio ser o 117ºevento apoiado pela Fundação na gestão atual, desde 2015, e convidou os presentes para Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que vai ocorrer em Maceió, em julho de 2018.