Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 06 Outubro 2017 12:03
BIENAL

Imprensa Oficial Graciliano Ramos lança Vá Pra Cuba, de Marcos Damasceno

Obra traz informações históricas, políticas e econômicas sobre a polêmica ilha de Fidel Castro

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Lançamento do livro “Vá pra Cuba – A Cuba que Vi, Ouvi e Senti”, do professor de geografia Marcos Damasceno Lançamento do livro “Vá pra Cuba – A Cuba que Vi, Ouvi e Senti”, do professor de geografia Marcos Damasceno Adaílson Calheiros
Texto de Renata Arruda

A Imprensa Oficial Graciliano Ramos lançou na noite de quinta-feira (5) o livro “Vá pra Cuba – A Cuba que Vi, Ouvi e Senti”, do professor de geografia Marcos Damasceno. Segundo o autor, a obra traz uma Cuba despojada de análises ideológicas, tanto à direita quanto à esquerda.

 


“Relatei minhas experiências durante três viagens que fiz a Cuba, onde cruzei o país de leste a oeste, durante 60 dias, e no livro trago o que as pessoas do lugar acham, o cotidiano da vida delas”, disse.

 


De acordo com Damasceno, a publicação do livro através do edital de Obras Literárias da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, um dos editais anuais mais esperados pelos autores, só reforçou sua percepção sobre a seriedade e importância da iniciativa.

 

 


“Percebi a seriedade no regulamento e o respeito ao cronograma estabelecido. Esse tipo de processo tem uma importância imensurável, pois é um instrumento de estímulo, de fomento à escrita em um estado que tem tanta gente talentosa, mas que não encontra tanto apoio para publicar seus romances, crônicas ou poemas”, afirmou, argumentando que ações como o Edital de Obras Literárias deveria ser encarado como uma política pública permanente para promover o avanço da produção literária em nosso Estado.

 


Para o autor de “Vá pra Cuba – A Cuba que Vi, Ouvi e Senti”, o lançamento do livro, constitui a concretização de um remoto projeto, uma vez que há anos ele investiga sobre revolução cubana e seu processo histórico.

 


“Tive a intenção de trazer um debate com mais qualidade, numa época em que o discurso do ódio prevalece e por causa disso já fui citado em revista nacional por trazer o tema desta maneira” comemorou.