Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 06 Outubro 2017 10:43
PREVENÇÃO

Perito criminal alerta sobre perigos de acidentes com fios elétricos

Maioria dos acidentes é provocada por combinação de negligência, imprudência e imperícia

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Texto de Aarão José

Após o choque elétrico que matou três integrantes de uma mesma família na quinta-feira (5), na cidade de Cajueiro, interior de Alagoas, o perito criminal Charles Mariano, responsável pelo exame pericial no local do acidente, fez um alerta para os cuidados com fiações elétricas. O alerta se deve ao aumento neste ano dos índices de acidentes fatais registrados no Estado.

 

Segundo dados dos Institutos de Medicina Legal de Maceió e Arapiraca, nos últimos cinco anos Alagoas registrou 198 casos de vítimas fatais de descarga elétrica. Em 2013 e 2014 foram 45 mortes, em 2015 esse número diminuiu para 32, mas, em 2016, voltou a subir, registrando 35 casos e este ano, somada às três vítimas de Cajueiro, 41 pessoas já perderam a vida, em virtude de acidentes elétricos.

 

Engenheiro elétrico, o perito criminal Charles Mariano explicou que a rede elétrica, apesar de fazer parte das nossas vidas, é extremamente perigosa quando manipulada por leigos e quando existe negligência, imprudência e imperícia. O perigo maior é a perda da vida humana em acidentes domésticos e na indústria.

 

Em Cajueiro, o acidente foi provocado por um fio condutor de energia elétrica que se estendia preso através de pregos, desde a parte interna da residência, por cima de uma parede, até o muro na parte dos fundos. Um destes pregos servia também para apoio de um varal de roupas composto por um arame farpado e um arame metálico. Com o esforço mecânico do fio condutor no prego houve um desgaste da camada de isolação fazendo com que o prego e o varal ficassem  energizados com a rede de 220 Volts.

 

“Quando a primeira vítima, por algum motivo, tocou no varal ficou submetida ao potencial de 220V e causou um curto circuito para a terra que circulou pelo seu corpo, vindo a falecer por eletroplessão. A segunda e a terceira vítima, provavelmente, na agonia de tentar salvar, tocaram no varal ou na vítima, sendo submetidas a mesma condição fatal”, disse o perito.

 


Segundo Mariano, acidentes como esse podem ser evitados. Basta aplicar os mínimos cuidados de segurança para os riscos serem minimizados ou até mesmo eliminados. “O responsável do imóvel deve sempre contratar profissional especializado para realizar as instalações elétricas. Jamais utilizar varais metálicos próximos à rede elétrica. E numa fatalidade, nunca tocar na vítima, e sim desligar o disjuntor geral do imóvel, seja residência, indústria ou comércio”, recomenda o perito.