Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 05 Outubro 2017 18:29
RECONHECIMENTO

Agente penitenciária recebe Medalha de Mérito por serviços prestados ao Estado

Homenagem é concedida a profissionais que se destacam na execução de suas atividades no mês do servidor público

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Com planejamento e dedicação, servidora consegue efetivar a ressocialização por meio do trabalho Com planejamento e dedicação, servidora consegue efetivar a ressocialização por meio do trabalho (Fotos: Jorge Santos)
Texto de Mayara Wasty

Trinta e dois convênios e quase 700 reeducandos trabalhando. Esses são os números atuais da Gerência de Reintegração Social da Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris). Para fazer isso acontecer, diversos profissionais trabalham diariamente, visando oportunizar melhores condições de vida aos egressos do sistema prisional.

 

Entre essas pessoas está a agente penitenciária e gerente de Reintegração Social Shirley Araújo, escolhida como uma dos dez servidores públicos que receberão a Medalha de Mérito Sílvio Carlos Luna Vianna, concedida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag).

 

A honraria será entregue na solenidade dia 19 de outubro e é concedida a servidores que se destacam pelo zelo, dedicação e presteza na sua área de atuação e das causas de interesse público.

 

Há 10 anos atuando como servidora pública, a agente penitenciária, que é bacharela em Direito pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e pós-graduada em Gestão Penitenciária, exerceu diversas atividades. Desde 2013, está à frente da Reintegração Social da Seris, que auxilia egressos com apoio psicossocial e insere no mercado de trabalho, por meio de parcerias com instituições públicas e privadas.

 

“Eu me sinto satisfeita com o trabalho que desenvolvo. Nestes dez anos de serviço público tenho aprendido como é importante a dedicação, a responsabilidade e a disciplina”, conta Shirley Araújo.

 

Apesar da dedicação, a servidora confessa já ter tido receio de atuar no sistema prisional no início da carreira. “Eu acho que é um receio da maioria das pessoas. A gente imagina que no sistema [prisional] será um ambiente hostil e que vamos encontrar só pessoas de alta periculosidade. Na realidade, nessa trajetória, eu encontrei tanto dentro do sistema como nos familiares dos reeducandos histórias emocionantes”, salienta.

 

Transformação social

 

A servidora pública conta que durante todos esses anos de trabalho já conheceu muitas pessoas que a emocionaram com suas histórias de vida. “Certa vez, um rapaz, cuja única alimentação do dia era na escola, veio pedir um emprego na reintegração social. Ele era magro e tremia de fome. Peguei uma ‘quentinha’ e dei para ele. Quase sem acreditar, perguntou se realmente era para ele, como se não merecesse. Foi muito comovente. Naquele momento eu quase chorei”, confessa.

 

A gestora acrescenta que hoje o jovem continua empregado e recebe muito elogios, sendo um dos muitos casos de sucesso da Seris. “Sem essa oportunidade, ele poderia ter voltado a reincidir”, disse.

 

A fala da gerente tem como base dados estatísticos do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Segundo o órgão, a reincidência criminal no Brasil gira em torno de 70%, enquanto que, em Alagoas, esse número entre os conveniados é inferior a 2%.

 

“Desde 2013, quando assumimos, cerca de 1.800 reeducandos passaram pelos convênios. O impacto que isso causa é ainda maior, pois existem famílias envolvidas. Ou seja, nesses anos já ajudamos milhares de vpessoas, direta e indiretamente, por meio de oportunidades de trabalho. Nossa meta agora é ampliar as ofertas de vagas e chegar até o final de 2018 com 1000 reeducandos empregados”, afirma.

 

Desafios e reconhecimento

 

Como em toda profissão, há dias de desânimo. “Tem dias que a gente cansa, principalmente fisicamente, mas minha mãe é minha grande incentivadora. Quando eu conto sobre o trabalho que desenvolvemos ela diz: ‘Shirley, mesmo que você não ganhasse salário já deveria estar muito feliz com esse emprego, pois não há nada melhor do que poder ajudar as pessoas”. Então, eu arrumo forças para continuar com esse trabalho tão importante”.

 

“Quando fui indicada e tive o privilégio de ser uma das premiadas fiquei muito feliz, pois é um reconhecimento do trabalho da Secretaria, meu e de minha equipe. Essa é uma forma de mostrar à sociedade que há outros caminhos além do encarceramento, que as pessoas podem melhorar, que podemos dar um direcionamento melhor para suas vidas”, completa.

 

A servidora penitenciária destaca ainda o empenho do secretário de Ressocialização e Inclusão Social, tenente Marcos Sérgio de Freitas, em apoiar o trabalho desenvolvido no setor, colocando Alagoas como referência nacional. “O secretário sempre nos orienta a não perder nenhuma pessoa, a fazer de tudo para oportunizar uma chance de futuro melhor”, finaliza.

 

Medalha de Mérito Sílvio Carlos Luna Vianna

 

A Medalha de Mérito Sílvio Carlos Luna Vianna é concedida a servidores que se destacam na execução de seu trabalho pela dedicação e zelo. Este ano, a comissão, composta por integrantes de secretarias do Executivo, Escola de Governo de Alagoas, representantes de órgãos da administração indireta e do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais, analisou 87 indicações.

 

Os critérios para receber a honraria são assiduidade, pontualidade, disciplina, capacidade de iniciativa, produtividade, responsabilidade, eficiência, compromisso com o serviço público, atitudes e procedimentos na vida pública e pessoal condizentes com a moral e o valor de sua contribuição para o engrandecimento do serviço público.