Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 05 Outubro 2017 15:16
ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

Sesau apoia tecnicamente primeira Unidade de Acolhimento Juvenil de AL

Localizada em Campo Alegre, ela atende crianças e adolescentes com dependência química

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Jovens contam com o apoio de uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogos, terapeutas ocupacionais e assistentes sociais Jovens contam com o apoio de uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogos, terapeutas ocupacionais e assistentes sociais (Foto: Divulgação)
Texto de Fabiano Di Pace

Organizado como um local de recuperação, a Unidade de Acolhimento Juvenil de Campo Alegre é o primeiro espaço em Alagoas preparado para atender crianças e adolescentes com dependência química dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). O serviço conta com o apoio técnico da Supervisão de Atenção Psicossocial da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

 

A unidade recebe recursos do Ministério da Saúde e é administrada pela Secretaria de Saúde de Campo Alegre. “A Sesau tem a função de apoiar tecnicamente e fiscalizar o funcionamento correto da instituição”, explicou a assessora técnica da Supervisão de Atenção Psicossocial da Sesau, Rosa Augusta.

 

 

Ela destacou que a unidade atende crianças e adolescentes de 10 a 17 anos, que recebem tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) dos municípios. “Os jovens contam com o apoio de uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogos, terapeutas ocupacionais e assistentes sociais. Esses profissionais são capacitados pela Sesau e estão aptos a fornecer o apoio para a reinserção desses pacientes na vida social”, ressaltou a assessora.

 

Estrutura

 

O espaço tem capacidade para atender até dez usuários por vez. Rosa Augusta salientou que os jovens são matriculados em escolas. “Os pacientes não estão privados de liberdade, pois a função da unidade é garantir a reinserção desses jovens na sociedade”, explicou.

 

A assessora técnica da Sesau lembrou que as famílias de cada usuário também fazem parte do processo. “As famílias são contadas e preparadas para receber essas crianças”, destacou, ao acrescentar que, além de Campo Alegre, outras unidades estão em construção em Alagoas.

 

“Cidades como Maceió e Arapiraca estão em processo de construção de suas unidades, que em breve integrarão a Rede de Atenção Psicossocial. Esse processo irá assegurar ainda mais qualificação para o tratamento, acolhimento e reinserção desses pacientes”, evidenciou Rosa Augusta.