Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 04 Outubro 2017 17:47
história da ciência

Livro traz história sobre 17 anos da ciência, tecnologia e inovação em Alagoas

Obra foi lançada durante a 8ª Bienal Internacional do Livro e já está disponível no site www.secti.al.gov.br

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Exemplares da obra foram distribuídos gratuitamente para o público presente, mas também estão disponíveis no acervo físico da Sect em sua versão digital Exemplares da obra foram distribuídos gratuitamente para o público presente, mas também estão disponíveis no acervo físico da Sect em sua versão digital Fotos: Ascom/Secti
Texto de Geysa Miranda

Uma noite que reuniu aqueles que contribuíram para o bom desenvolvimento, consolidação e difusão das políticas públicas de CT&I em Alagoas, assim foi o lançamento do livro 2000-2017: história e os avanços da CT&I no Sistema Secti que aconteceu nessa terça-feira (3), durante a programação da 8ª Bienal Internacional do Livro.

 

Exemplares da obra foram distribuídos gratuitamente para o público presente, mas também estão disponíveis no acervo físico da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e sua versão digital disponibilizada no site www.secti.al.gov.br (em Projetos–Resgate Histórico).

 

O livro tem o propósito de popularizar a história da ciência, tecnologia e inovação (CT&I) demonstrando sua relevância na construção e no desenvolvimento do Estado em seu bicentenário. No seu conteúdo, é possível encontrar os projetos e ações que se tornaram marcos históricos desenvolvidos ao longo dos anos, sempre em busca de consolidar os ambientes de inovação, difundindo e estimulando o uso de novas tecnologias.

Foto: Ascom/Secti

Em seu discurso, o secretário da Secti, Regis Cavalcante, destacou a importância desse trabalho na preservação da memória e o papel do setor de tecnologia no Estado para vida dos cidadãos. “Essa obra impacta positivamente a vida dos alagoanos, acondicionando o papel do setor, através de registros de fatos, realizações e feitos da CT&I no Estado. Um importante trabalho do Governo de Alagoas e reconhecimento àqueles que contribuíram nessa trajetória”, ressaltou o secretário.

 

Esse projeto foi desenvolvido, não só pela Secti, como também por seus órgãos vinculados que compõem o sistema, a Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal) e os Institutos de Tecnologia em Informática e Informação do Estado (Itec) e Metrologia e Qualidade de Alagoas (Inmeq).

 

O diretor-presidente da Fapeal, Fábio Guedes, evidenciou a participação dos ex-secretários da Secti, servidores, pesquisadores e estudantes ressaltando  o momento importante que o Estado vive, com fortes investimentos nessa área e apoio à ciência, contrariando a tendência nacional.

Foto: Ascom/Secti

“Trata-se de um livro de depoimentos importantes e narrativa sobre a trajetória de construção de um sistema público de apoio, fomento e articulação para de vários atores alagoanos. Está de parabéns a equipe idealizadora do projeto”, disse Fábio Guedes.

 

Para o diretor-presidente do Itec, Luciano dos Santos essa obra representa muito bem o governo Renan Filho, sempre realizando um trabalho ético e transparente. “Esse trabalho de resgate é um momento de valorizar aquelas pessoas que construíram a história da tecnologia em nosso Estado. O Itec está há 40 anos construindo essa linha do tempo, desde os cartões perfurados até o momento atual, de grandes avanços. É uma obra que representa muito bem o que estamos vivendo em Alagoas, onde conseguimos a primeira colocação no ranking de transparência. O governo Renan Filho está muito bem representado no segmento da tecnologia”, afirmou Luciano dos Santos.

Foto: Ascom/Secti

Já o diretor-presidente do Inmeq, Luiz Pedro, destacou que a ciência e tecnologia é uma peça fundamental do atual governo para o bom desenvolvimento de Alagoas. “O Inmeq é um órgão fiscalizatório que atua, diretamente, com a ciência e tecnologia na fiscalização de metrologia legal, da conformidade e da qualidade em mercadorias e serviços do terrítorio do Estado, contribuindo para formação dessa história. Para nós, é gratificante fazer parte desse crescimento”, enfatizou Luiz Pedro.

 

O projeto faz parte de uma série de ações que estão sendo desenvolvidas pelo Programa de Resgate Histórico da CT&I em alusão ao ano do bicentenário de Alagoas. As atividades que já foram executadas e as que serão até o final deste ano estão disponíveis neste link