Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 29 Setembro 2017 16:37
POLO TURÍSTICO

Estado inicia instalações estruturais do Marco Referencial de Maceió

Obra substituirá as ruínas do antigo Alagoas Iate Clube, na orla da Ponta Verde, e promete ser um dos principais cartões-postais da capital alagoana

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Espaço terá 3,6 mil m² e capacidade para 1,5 mil pessoas Espaço terá 3,6 mil m² e capacidade para 1,5 mil pessoas (Fotos: Ascom/Seinfra)
Texto de Myllena Diniz

A obra do Marco Referencial de Maceió ganha forma na orla da Ponta Verde, em substituição às ruínas do antigo Alagoas Iate Clube, e servirá de atração para turistas e moradores da capital. Nesta sexta-feira (29), a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra) deu início às instalações estruturais do espaço, que terá capacidade para 1,5 mil pessoas.

 

Aguardado há uma década pelo trade turístico, o futuro Marco Referencial irá transformar a área que abrigava o clube náutico em um equipamento gratuito de disseminação da cultura, da história e da gastronomia alagoanas. Ao todo, serão 3,6 mil m², com praça de alimentação e de eventos, concha acústica, espaço climatizado, segurança e dois mirantes com vista privilegiada para o mar.

 

Com recursos provenientes do Governo de Alagoas e do Ministério da Integração Nacional, a primeira etapa do projeto está orçada em R$ 9,3 milhões. De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura, Humberto Carvalho, tirar essa obra do papel foi uma das principais missões do Executivo estadual.

 

“O Marco é uma obra emblemática; uma demanda antiga dos alagoanos. Por isso, mesmo na crise, encontramos a melhor forma de torná-lo real. Fragmentamos o projeto em duas etapas e enxugamos um orçamento que, inicialmente, era de R$ 17 milhões”, destacou Humberto Carvalho.

 

Após os avanços nas demolições, a obra chegou na etapa de instalação dos elementos estruturais. Neste momento, os trabalhos concentram-se na implantação de 172 blocos, com 3,5 toneladas cada, responsáveis pela sustentação estrutural da área. Todo o material atende às especificações de resistência a processos de corrosão.

 

(Fotos: Ascom/Seinfra)

 

Segundo Humberto Carvalho, os elementos foram modelados fora da área da construção, conforme recomendação do Instituto do Meio Ambiente (IMA) e do Ministério Público Federal (MPF/AL).

 

“Como trata-se de um espaço construído em área de influência direta do mar e sobre uma região com vida marinha, os cuidados ambientais são prioritários na sua condução. Nossa fiscalização tem sido rigorosa nesse sentido”, salientou o secretário.

 

Outras condicionantes ambientais

 

O cuidado ambiental tem sido uma premissa nas obras do Marco Referencial de Maceió. Como condicionante para a execução do projeto, a Seinfra também doou, no início deste ano, 40 conjuntos de boias, cabos e poitas ao Instituto do Meio Ambiente (IMA/AL), para a demarcação e o isolamento da área de proteção da Piscina do Amor, situada em entre as praias de Ponta Verde e Pajuçara.

 

Quando concluído, o espaço também servirá de base para uma câmera de monitoramento remoto do IMA, para a fiscalização da piscina natural, que já é acompanhada, periodicamente, pelos técnicos da equipe de Gerenciamento Costeiro (Gerco).