AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Segunda, 03 Julho 2017 17:30
MACEIÓ

Governo vai dobrar percentual de pessoas atendidas com esgotamento sanitário

Investimentos serão da ordem de R$ 400 milhões, por meio de Parceria Público-Privada

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Governador Renan Filho assina o termo de concessão de área, pelo Exército Brasileiro, à Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) Governador Renan Filho assina o termo de concessão de área, pelo Exército Brasileiro, à Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) (Fotos: Márcio Ferreira)
Texto de Severino Carvalho

O Governo do Estado espera ampliar, para 70%, até o final de 2018, o percentual da população atendida por rede coletora e de tratamento de esgoto em Maceió, que hoje é de 35%, com investimentos da ordem de R$ 400 milhões. Ato importante para que isso ocorra foi oficializado na tarde desta segunda-feira (3), no Palácio República dos Palmares, com a assinatura do termo de concessão de área, pelo Exército Brasileiro, à Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

 

 

O terreno fica nas dependências do 59º Batalhão de Infantaria Motorizado (59º BIMtz). No local, o Consórcio Sanema vai construir uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que integra o conjunto de equipamentos do sistema de esgotamento sanitário do bairro Farol e adjacências, orçado em R$ 200 milhões.

 

O outro sistema, cujas obras também estão em execução, é gerido pelo Consórcio Sanama e atenderá o Tabuleiro do Martins e Benedito Bentes. Os investimentos também são da ordem de R$ 200 milhões.

 

 

 

“Esses R$ 400 milhões não são públicos, são recursos que serão investidos por meio de Parceria Público-Privada (PPP). Isso vai facilitar, sem dúvidas, a viabilização dos projetos. Seria muito difícil, tendo em vista a situação em que o País vive, viabilizar recursos públicos”, afirmou o governador Renan Filho, que presidiu a solenidade de assinatura do termo de concessão da área para a construção da ETE.

 

Renan Filho observou que, em Alagoas, nos últimos 15 anos foram investidos apenas R$ 50 milhões em obras de esgotamento sanitário, verdadeiramente executadas. Para sanear Maceió totalmente estima-se que sejam necessários R$ 1,5 bilhão. Nesse ritmo, o governador calcula que seriam levados 450 anos para sanear toda a capital, desde que não houvesse crescimento.

 

 

 

Com a conclusão, em breve, das obras de esgotamento da Bacia da Pajuçara, Maceió terá 35% da população atendida por rede coletora e de tratamento de esgoto. A meta do Governo do Estado é dobrar esse percentual até o final de 2018.

 

“Por isso, precisamos viabilizar recursos privados, porque, nem Alagoas tem recursos públicos para fazer um investimento de R$ 1,5 bilhão e nem o Governo Federal tem”, destacou Renan Filho, lembrando que investir em esgotamento sanitário é, sobretudo, beneficiar a saúde pública e as atividades ligadas ao turismo, uma das principais vocações econômicas do Estado.

 

Além do governador, assinaram o termo concessão o presidente da Casal, Clécio Falcão; o superintendente do Patrimônio da União em Alagoas, Victor Soares; e o comandante do 1º Grupamento de Engenharia do Exército, general Marcos José Pupin.

 

 

 

Renan Filho recordou que o Exército Brasileiro tem sido muito colaborativo com o Estado de Alagoas no sentido de viabilizar algumas demandas históricas, a exemplo do Eixo Viário Quartel, cujas obras estão em fase de conclusão. Quando estiver pronto, o equipamento vai dar maior fluidez ao trânsito da Avenida Fernandes Lima.

 

“O Exercito Brasileiro sempre está ao lado da população, buscando soluções para melhor atendê-la. Foi possível, por meio de uma conversa, disponibilizarmos essa área sem comprometer nossa atividade fim”, afirmou o comandante militar do Exército no Nordeste, general Arthur Costa Moura, presente à solenidade.

 

ETE

 

O presidente da Casal informou que a ETE que será construída na área do 59º BIMtz está orçada em R$ 40 milhões e ficará pronta dentro de um ano.

 

“Para esse sistema funcionar é fundamental que exista uma Estação de Tratamento de Esgoto, que receberá os efluentes de toda a região. O esgoto será captado, bombeado por meio de estações elevatórias até chegar à Estação de Tratamento, onde será tratado com tecnologia de última geração. Sairá uma água semipotável, que poderá ser usada, inclusive, para fins industriais, paisagismo ou descartada em último caso”, detalhou Falcão.

 

Participaram, ainda, da solenidade o comandante do 59º BIMtz, coronel Nilton Rodrigues; deputados federais e estaduais, além de secretários de Estado, dentre outras autoridades. Após a assinatura, o governador Renan Filho se reuniu com técnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para tratar do Plano Estadual de Esgotamento Sanitário.

 

“Além dessa locação de ativos do Consórcio Sanema, temos outra obra de PPP do Consórcio Sanama para fazer o esgotamento sanitário de toda a região do Tabuleiro do Martins, Benedito Bentes, Santa Lúcia, Cidade Universitária, Santos Dumont. São duas das principais obras do Plano Estadual de Esgotamento Sanitário”, finalizou Falcão.